Imagem

Episódio 3 vem chegando.

padre samurai.

Anúncios

Processo de Trabalho

Mais um preview do próximo episódio de YVY! Desenho de Ricardo Fonseca. Roteiro de Rafael Martins da Costaesboço de página de quadrinhos

Odara e a Espada de Iansã.

OdaraOdara apareceu pela primeira vez na série em um flash back de Eva, no episódio 1, presenteando Eva com a poderosa Espada de Iansã. O que se sabe sobre essa personagem? Até agora, que é de origem yorubá, pela referência à orixá Iansã, e que ela esteve no Quilombo dos Palmares.

Após a formulação da personagem, baseando-me um pouco no filme Quilombo, de Cacá Diegues, e postado o primeiro episódio completo no site, descobri que a maioria dos moradores do Quilombo dos Palmares era de negros de origem bantu, não yorubá. A própria palavra quilombo seria de origem bantu. Fica aqui a referência ao engano histórico na série.

Odara aparecerá novamente? Aguardem.

Eva, a protagonista

EvaQuem acompanha a série YVY já conheceu Eva, a nossa protagonista. Eva é uma moça guarani que cresceu na redução, tendo uma educação cristã, sendo tutelada de perto pelo jesuíta responsável pela missão, o Padre Antônio. Decepcionada pelo envio obrigatório de seu amado para servir à coroa espanhola na guerra, ela deixa a vida na redução e se embrenha na mata para encontrar seu avô, o velho Moreyra, um velho feiticeiro que vive só na floresta.

O visual da personagem tenta representar essa ruptura com o mundo europeu, por isso, ela não usa o tradicional vestido de algodão cru, vestimenta comum nas reduções jesuítico-guaranis. Em lugar disso, ela usa uma saia de couro, também comum, mas que empresta uma aparência menos cristã à personagem. Os demais acessórios, braceletes e joelheiras vêm nesse mesmo intuito, dando um ar mais “capa e espada” à nossa protagonista. Por fim, a vincha usada pelos habitantes dos pampas para amarrar os cabelos ao cavalgar e as botas de garrão de potro nos pés, que, para a nossa Eva, ganharam um desenho diferente.

Vestimenta indígena missioneira.

Vestimenta missioneira                    Fonte: http://www.sohistoria.com.br/ilustrada/ateguaraniticas/p5.ph

Para fazer a conexão com a sua herança guarani, acrescentamos uma pintura no rosto, que, segunda uma amiga antropóloga, é a mesma usada pelas mulheres desse povo. Apesar de sua ruptura com o modo de vida europeu, ela ainda mantém uma ligação com o seu passado na redução. é o semi-crucifixo que ela carrega no pescoço. Acompanhe a série e você descobrirá porque falta um braço à cruz, também descobrirá a origem da espada que ela carrega, a Espada de Iansã.