Lenda do Macaco (Ka’i)

Por Rafael.

macaco-prego

Eis a última lenda do livro Leyendas y Creencias Populares del Paraguay. É a lenda de como foi a criação dos macacos, ou ka’i, em guarani. Ela conta a história de um garoto que gostava muito de pregar peças nas pessoas. Era brincalhão de mais, de um tipo que que chegava a ser chato. Muitos lhe advertiam para que mudasse seu comportamento, pois aquilo poderia não terminar bem para ele.

O garoto não fazia caso, não ouvia ninguém. Continuava com seu modo de vida impertinente. Certa vez, ele e outros garotos, subiram em uma árvore de guabiroba para comer e se divertir. Um velho senhor que por ali passava, viu a árvore e os garotos e se dirigiam a eles. Pediu que lhe dessem alguma fruta, pois havia caminhado muitos dias e estava com fome. Os garotos, no lugar de ajudar o senhor, aproveitaram o momento para fazer mais uma brincadeira, atirando frutas no homem e rindo.

Este protegia a cabeça com as mãos e pedia para que os garotos parassem com a brincadeira. O azar deles foi que, bem na hora, estava passando por ali o Ka’aguy Póra, o espírito da floresta, que não gostou nada do que viu.

Indignado com a covardia e falta de respeito dos moleques, decidiu lançar um feitiço neles. De repente, os meninos, enquanto riam, percebiam que crescia pelos no seu corpo e caldas nos seus traseiros. E assim, nasceram os macacos-pregos, que correm, saltam e se penduram onde podem, sem parar.

Assim termina essa série de postagens sobre as lendas guarani-paraguaias. Espero que tenham servido para despertar seu interesse pela cultura desse país, que é tão parecida com a brasileira, em muitos aspectos. Conheça as outras lendas:

Lenda do sapo.

Lenda do muembe.

Outra lenda da erva-mate.

Lenda da mandioca.

 

 

Anúncios