Lenda do Macaco (Ka’i)

Por Rafael.

macaco-prego

Eis a última lenda do livro Leyendas y Creencias Populares del Paraguay. É a lenda de como foi a criação dos macacos, ou ka’i, em guarani. Ela conta a história de um garoto que gostava muito de pregar peças nas pessoas. Era brincalhão de mais, de um tipo que que chegava a ser chato. Muitos lhe advertiam para que mudasse seu comportamento, pois aquilo poderia não terminar bem para ele.

O garoto não fazia caso, não ouvia ninguém. Continuava com seu modo de vida impertinente. Certa vez, ele e outros garotos, subiram em uma árvore de guabiroba para comer e se divertir. Um velho senhor que por ali passava, viu a árvore e os garotos e se dirigiam a eles. Pediu que lhe dessem alguma fruta, pois havia caminhado muitos dias e estava com fome. Os garotos, no lugar de ajudar o senhor, aproveitaram o momento para fazer mais uma brincadeira, atirando frutas no homem e rindo.

Este protegia a cabeça com as mãos e pedia para que os garotos parassem com a brincadeira. O azar deles foi que, bem na hora, estava passando por ali o Ka’aguy Póra, o espírito da floresta, que não gostou nada do que viu.

Indignado com a covardia e falta de respeito dos moleques, decidiu lançar um feitiço neles. De repente, os meninos, enquanto riam, percebiam que crescia pelos no seu corpo e caldas nos seus traseiros. E assim, nasceram os macacos-pregos, que correm, saltam e se penduram onde podem, sem parar.

Assim termina essa série de postagens sobre as lendas guarani-paraguaias. Espero que tenham servido para despertar seu interesse pela cultura desse país, que é tão parecida com a brasileira, em muitos aspectos. Conheça as outras lendas:

Lenda do sapo.

Lenda do muembe.

Outra lenda da erva-mate.

Lenda da mandioca.

 

 

Anúncios

A lenda do Ka’aguy Póra: O Caipora paraguaio

Por Rafael.

Ka'aguy poraNo folclore brasileiro é bem conhecida a lenda do Caipora, Caapora ou, também,  Curupira. Aquela criatura fantástica que habita as matas, protegendo os animais dos caçadores inescrupulosos.

Para minha surpresa, lendo o livro Leyendas y creencias populares del Paraguay, encontrei esta mesma história, porém, no Paraguai, essa criatura sobrenatural tem outro nome, é o  Ka’aguy Póra. Estas são duas palavras guarani, Ka’aguy, que significa mata ou bosque, e Póra, fantasma ou duende. Ou seja, o fantasma da mata. Podemos imaginar que a palavra Caapora, que conhecemos no Brasil, se origina desse mesmo idioma nativo americano.

O livro que consultei, mostra a história de três homens que, bêbados, entram na mata para disputar quem era o mais valente, quem caçaria o maior animal. Sendo este, um motivo torpe para se matar qualquer ser vivo da floresta, o Ka’aguy Póra, lança a sua fúria contra eles. Nessa versão, o Ka’aguy Póra é diferente do nosso Caapora. Ele não tem pés virados,  nem monta um porco do mato. Tem, sim, apenas um olho na cabeça, uma crina, e um cachimbo feito com um crânio humano. Além disso, ele possui cerca de cinco metros de altura. Não seria, então, um duende, está mais para um gigante.

Parece que, no folclore, temos um ponto de união entre Brasil e Paraguai. Não haveria mais pontos como esse? E em relação a outros países do continente? Quem sabe não seríamos mais próximos do que pensamos?