Processo de Trabalho

Mais um preview do próximo episódio de YVY! Desenho de Ricardo Fonseca. Roteiro de Rafael Martins da Costaesboço de página de quadrinhos

Anúncios

O Dia da Caça- Página 17

bandeirantes massacrados

Visita a Retomada Guarani

Casa guarani

Por Rafael

A série YVY se inspira na história e cultura do povo guarani, cujo território ocupava uma larga mancha territorial no que hoje é considerado o centro-sul do Brasil, nordeste da Argentina, Paraguai e sudeste da Bolívia. Atualmente, esse povo vive espalhado por diferentes aldeias e nas margens das rodovias, ocupando pequenos e pobres espaços. No Rio Grande do Sul, como em outras partes, a luta pelo direito ao seu território e cultura nunca parou.

Fogo de chão

No último sábado, 15/07, fiz uma visita à chamada Retomada, uma ocupação realizada por um grupo de famílias mbyá-guarani em terras do que era a extinta FEPAGRO, Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Sul.
Fui acompanhado de minha esposa, Daniela, e minha filha Moema. Havia feito contato com o cacique André Benites, através da internet. O único meio de comunicação de que dispõe a aldeia é o celular do cacique, que é carregado através de uma placa solar, presente de apoiadores da Retomada. O sinal de telefone na área é muito ruim, então, fazer esse contato não foi algo muito fácil. Mas, no fim das contas, consegui falar com o cacique, e marquei essa visita. Reunimos, entre amigos, algumas roupas e cobertores para levar como doação. Não foi muita coisa, mas melhor do que nada e os guarani receberam de muito bom grado.

Galinhas pelo pátio da aldeia

Na entrada da antiga FEPAGRO fomos recebidos por três jovens guarani, um menino e duas moças, que nos ajudaram a carregar as sacolas até o local da Retomada. Foi uns quarenta minutos de caminhada por uma trilha, no interior da mata, um pedaço da exuberante Mata Atlântica. Ao chegar, encontramos o povo sentado em círculo, em volta de uma fogueira. Conversavam em guarani, tomavam chimarrão, fumavam seus cachimbos petynguá, crianças brincavam em volta. Fomos recepcionados pelo cacique André Benites que nos contou um pouco da situação, mas principalmente nos falou que, ali, estavam contentes, viviam tranquilamente o seu modo de vida e agradeceram muito nosso interesse em ajudá-los, para eles, todo apoio é bem vindo.

Povo em volta do fogo

A série YVY não pretende fazer um trabalho científico ou antropológico, também não deseja “representar” a cultura guarani, mas procuramos respeitar a história desse povo e, na medida do possível, apoiar essa luta. Agora, o que podemos fazer é isso, quem sabe o que nos reserva o futuro. Outras visitas ocorrerão. Máximo respeito à Retomada guarani de Maquiné!

 

 

Para saber mais, acesse o blog dos apoiadores da Retomada clicando aqui.

VISÕES

E chegamos na página de número 10 da nossa história, mais nove restam para conhecermos a conclusão dessa aventura, se é que ela vai concluir. Eva tenta usar o petynguá, cachimbo guarani, para chegar a uma visão do que está acontecendo com o gado da redução, bom ela não consegue, depois saberemos a razão.

Para o povo guarani, o uso do petynguá tem uma conotação sagrada, é um elo de ligação com o mundo espiritual. Não é o mesmo uso que o branco faz do ato de fumar. Aqui em YVY, uma série de ficção, procuramos respeitar a cultura desse povo nativo das Américas, mas queremos explorar o lado fantástico da realidade. Existem algum?

Para saber mais sobre o petynguá, clique aqui.

Episódio 1: A Redução – Página 8

USE AS SETAS, NA PARTE DE BAIXO, PARA NAVEGAR PELA HISTÓRIA.

p8letras

A lenda do Chupacabras  parece ter surgido nos anos 90 do século XX, aqui em YVY, nós a adiantamos uns 200 anos.

Episódio 1: A Redução Página 6

USE AS SETAS EMBAIXO DA PÁGINA PARA NAVEGAR PELA HISTÓRIA

p6letras

Agora, Eva começa a conhecer o problema com os próprios olhos. Animais aparecendo mortos, com estranhas marcas, sem sangue… parece episódio do History Channel, não é? O que aguarda nossa heroína e seu amigo jesuíta?